terça-feira, maio 06, 2008

NOSSOS ENCONTROS NO ENCONTRO DAS ESTAÇÕES EM FORTALEZA

DE HENRIQUE -
ESTAÇÃO BELO HORIZONTE


Amados caminhantes,

Primeiramente, quero agradecer pelas (tão rápidas!) manifestações de amor e alegria pelas últimas notícias em relação ao Tiaguinho. Que coisa linda!

Alcides, mano que tive o privilégio de conhecer neste encontro, obrigado pela disponibilidade abnegada em auxiliar a família em questão. Mande meu abraço à Lúcia, e meu pedido de desculpas pela gafe regional. Misturei "Itabaiana" com BAHIA...kkkk...Os irmãos de BH estão acostumados com minhas "pérolas", principalmente o Luiz, que já possui um acervo "daqueles". Conforme você solicitou, os dados bancários do Márcio são os seguintes:

Márcio de Oliveira Júnior
Banco Itaú
AG: 5636
Conta Corrente: 07161-4

Os telefones são (31) 3353-8628 / 8663-7816 / 9859-7413.

Quero aproveitar a "deixa" para trazer, de forma muito singela, algumas percepções e marcas deixadas em mim no encontro em Fortaleza. Meu único intuito com isto é tão somente manifestar em poucas palavras minha profunda e sincera gratidão por tudo isso que aconteceu.

Estou plenamente cônscio de que toda "listagem" traz em seu bojo, o elemento de seletividade que é, em tese, arbitrário. Não pretendo - e nem poderia fazê-lo - trazer nenhuma lista pormenorizada, "holística" ou esmiuçada de nada. São somente percepções e lembranças frescas, que me vêm, ao mesmo tempo, de forma intensa e doce.

Outrossim não tenho nenhuma pretensão estesiogênica em minhas palavras. Não! Minha intenção não é causar impressões ou sensações em ninguém.

Elas não têm sustentabilidade existencial!

Tampouco se sustentam!

Infeliz é quem anda pelas sensações!

Agradeço ao Pr. Caio Fábio, o qual, conquanto tenha recebido a (justíssima) alcunha de um ´divisor de águas na história da igreja brasileira´, tem sua existência concreta invadido nossas vidas numa entrega profunda, verdadeira e sincera. As águas divididas, no meu caso específico, tem muito mais a ver com o "micro", com as águas do meu interior, separando aquilo que é doce e o que é amargo. Obrigado, pastor!

Agradeço também ao "Pai-stor" Carlos Bregantim (vulgo "Brega" e os novos - e não muito honrosos - epítetos fortalezenses Papai Noel, Gandalf e, segundo o Marcelo Quintela, a gota d'água: Beato Salú).

Entendo perfeitamente e necessidade dos humoristas de caricaturizar pessoas ou, melhor dizendo, características delas. O Fonseca, como lhe é peculiar, descreveu muito bem a "trama humorística". Quero deixar claro que me diverti muito com tudo o que aconteceu. Inclusive brinquei muito com o Cândido pela caracterização de "Bob Esponja".

Todavia, salta aos meus olhos uma outra percepção, que encontra plena correspondência no espírito das escrituras. De forma mais específica, a Palavra nos diz, em Atos dos Apóstolos, acerca de Barnabé. A primeira referência ao cara nos fala de onde era, sua linhagem judaica, sua atitude despojada em relação aos seus bens.

O que me chama a atenção é o fato de que havia algo nele que fez com que os apóstolos o identificassem com o Espírito Santo. Não era uma caracterização física ou estética. Não eram suas indumentárias, seu sotaque, suas preferências e gostos pessoais e aliemntares.

Ele era José, mas, aos olhos de quem o via, não era mais o "Zé". Era o Filho da Consolação, ou como prefiro pensar, do Consolador mesmo.

É gente olhando pra gente e subvertendo as categorias de pensamento e classificação social por algo muito superior, e muito mais profundo.

Algo que tem sustentabilidade existencial, e que permanece.

Digo isso, de forma MUITO simplificada, somente para dizer-lhe, "Brega", que sua 'breguidade" (não é breguice, hein!), me ajuda no caminho ao Caminho, e, assim, me ajuda a tornar-me um ser humano melhor aos que me cercam. Ao meu próximo.

Quando o ouço, as incertezas são, em fé, relativizadas, e absolutiza-se o amor.

Não faço média com ninguém, mas também não quero, em nome do famigerado "o que vão pensar de mim?', ou ainda 'e se acontecer algo na jornada que relativize suas palavras?", deixar de expressar o que vem ao meu coração. Não sei se pode acontecer algo próximo à segunda opção. O que sei é o "dia que se chama Hoje", e o que ele me diz é que o amo, e sou sincera e profundamente grato ao Pai por você.

Ao Marcelo Quintela, cuja "tradução existencial" das Escrituras (NVQ - Nova Versão Quinteliana), expressa nos comentários, no apuradíssimo feelling, percepções tão acuradas e perspicazes, mas que não valeriam de nada se não houvesse, como transborda em cada sílaba proferida por você, o signo emblemático do amor. Isso se dá de forma tão profunda que me estremeço por dentro, e agradeço ao nosso Deus pelo privilégio de termos o seu serviço a nós disponibilizado. Infelizmente não pude abraçá-lo na despedida, pela correria em relação ao meu horário de vôo de volta. Fica meu "abraço virtual", porém carregado de verdade e sinceridade.

De forma muito especial, quero destacar as atitudes e palavras tão doces e profundas ditas pelo Gilson (Estação Santos), irmão muito amado. Sua gratidão por algo que, aos meus olhos, seria injustificado, me emocionam de verdade. Suas percepções transcendem quaisquer expectativas interpretativas sobre o significado do Encontro-Confraternização em BH. Para mim, você fala por revelação espiritual, no sentido mais belo do termo. Revelação de amor. Obrigado por existir, e por ser assim.

Ao casal Ivo e Janaína, não somente pelo que fizeram, mas, principalmente, como fizeram. Suas ações falam por si só. Obrigado mesmo!

Ao Fonseca, pela menção tão carinhosa feita a mim no texto recém enviado, cujo teor me fez literalmente, "viajar". Mais do que as palavras, sua atitude e olhar dirigidos a mim "no apagar das luzes" do encontro me fizeram muito bem ao coração.

Aos meus colegas de quarto David, Marcos e Paulo Roberto, pelas conversas tão bacanas, e tão ricas.

Não posso deixar de mencionar os irmãos de BH, especialmente ao casal Riva e Myriam, tão amigos, que propiciaram que eu pudesse participar deste momento. Também ao Luiz e Solange, por serem quem são. Obrigado mesmo!

Como dito anteriormente, a lista seria infindável, mas paro por aqui.

Um grande e sincero beijo, com brilho nos olhos e uma vontade imensa de servir ao Evangelho, renovada em momentos como esse,

Henrique
Estação Belo Horizonte


Assim foi o encontro, assim é o nosso Caminhar. O Amor é sem sombra de dúvidas a marca das pegadas dos Do Caminho, conforme o Evangelho, conforme a Fé daquele que um dia Caminhou no Caminho mesmo sendo O Caminho e em quem hoje Caminhamos, Ele, Jesus Cristo. O Amor é a essência do Caminho da Graça, pois o Caminho da Graça são os seus Caminhantes e cada Caminhante é portador de um Amor inigualável, indizível, pois pude sentir e compartilhar com muitos o sabor deste amor.
O Encontro me fez ter certeza abosulta-total-definitiva que quero gastar todo o tempo da minha existência no Caminho, pois nele a única lei, é a lei do Amor e amor ao próximo, amor a vida, amor a existência.
Este Amor que tanto falo foi vivido de forma intensa-plena-verdadeira entre todos no encontro, pois no Caminho da Graça temos a coragem de olhar no olho de cada e dizer: “Eu Te Amo”, sem falsidade e hipocrisia nenhuma. Como foi bom abraçar, receber carinho dos manos e manas naquele lugar. Parecia que nos conhecíamos de longas datas, de lado a lado andar, mesmo sem nunca termos nos encontrado pessoalmente, mas nos portávamos como já sendo companheiros de muito tempo, pois portamos, carregamos no coração uma só fé, um só amor, Dele, Jesus Cristo.
Como foi maravilhoso encontrar o Caio Fábio (O Caião), como foi bom abraçá-lo e Declarar: Amo você meu irmão querido; Assim como também falar da importância dele para a minha vida e dizer que é gostoso demais Caminhar no Caminho da Graça e viver o Evangelho de forma intensa, livre, plena e pura; Como é Maravilhoso Amar e ser amado por ele e por todos os Do Caminho. Como foi bom demais sentir seu Carinho, seu abraço verdadeiro, apertado e cheio de amor; Como foi rico e gostoso conversar um pouquinho com ele e ter a convicção que ele é um ser plenamente humano, tão somente gente. Foi bom sentir pessoalmente o que já sentia e cria a respeito dele, ou seja, vê-lo como um-mano, um amigo, como meu querido-amigo-pastor Caião.
Como foi bom olhar nos olhos, abraçar e beijar aquele ser cujo amor de Cristo é nítido, é sentido só em vê-lo, o Ser chamado Henrique (Estação - Belo Horizonte). Meu mano Henrique saiba que você é um cara muito amado por mim e que Jesus Cristo é visto claramente no seu ser e seu amor para com o próximo revela os atos de Cristo.
Como foi bom conhecer o Fonsecão (Antônio Fonseca – Estação de Goiás), como foram ricos e gostosos os momentos em que conversamos, cantamos e nos alegramos em comunhão. Saiba amigo Fonseca que aqui em Fortaleza tem um cara que te ama.
Como foi Maravilhoso conhecer o Brega (Carlos Bregantim – Estação SP) e o Marcelo Quintela (Estação – Santos) e compartilhar com eles momentos de alegria, edificação, experiências, além de aprender muito com as mensagens por eles ministrada.
Como foi bom demais conhecer o pessoal de Brasília: Jack (Grande músico, amigo, um-mano); Adriana (Esposa do Caio); Bruna- Bruninha (Muito atenciosa, gentil, simples e amiga); Adriana Fidélis, Mary e Ana Célia (Amigas muito amorosas); A Malú (Muito gentil e amiga); O Jerry (Cara bacana demais, simples e um big amigo); Enfim todos de Brasília, pois foi bom demais mesmo conhecer e viver dias maravilhosos com vocês.
Como foi bom conhecer, receber em casa e sair para se divertir com o Tião (Estação SP), Gilson e Ivaldo (Estação Santos – SP) e o Deywison (Estação Recife – PE), gente bacana, divertida, amorosos, enfim, grandes manos na Caminhada.
Como foi bom conhecer o Marcos e o Davi (Estação Abreu e Lima – PE); Todos os manos e manas da Bahia, Campo Grande e Minas Gerais; Alexandre e sua Família e todos os demais do Rio de Janeiro; Marcos (Estação na Holanda); O Aser (Um ser místico e muito gente fina, além de muito carinhoso); O Edmilson (Muito gente fina e que nos alegrou bastante cantando a canção: Humano Demais); O Alcides (Estação em Sergipe) e todos que ali estiveram vivendo aqueles momentos inesquecíveis.
Foi bom demais conhecer todos os Do Caminho Brasil e mundo a fora. Quero agradecer do mais profundo do meu coração ao mais intimo da minha alma a presença de todos no Encontro Nacional do Caminho da Graça 2008, ou melhor, no “Encontro do Amor, Dos que se Amam no Caminho” em Fortaleza-Caponga-Cascavél-Ceará.
Quero agradecer também a todos da Estação Fortaleza por termos vivido no Encontro o Amor que já vivemos na Caminhada aqui. Como foi bom estar no Encontro com vocês meus manos e manas tão queridos: Ivo (Meu Amigo-mano-Pai-ajudador-conselheiro-mentor-pastor); Janaina/Esposa do Ivo (Amiga-mana-ajudadora); PC (Amigo-mano-ajudador-Pai); Bárbara/Esposa do PC (Amiga-mana-ajudadora); André Luiz/Andrezão (Meu Queridão) e sua esposa Claudia(Uma Big Amiga); Hugo/Hugão (Mano Querido) e Vanessa/Esposa do Hugo (Amiga-Maninha); Gerfyson, Gilson e Esposa; Cândido (Amigo-mano, cujo amor cresceu mais ainda durante a convivência no encontro) e aos demais que lá estiveram e também a todos que aqui conosco Caminham e que por algum motivo não puderam ir ao Encontro. Amo todos vocês.
Assim foi encontro Nacional das Estações do Caminho da Graça 2008, um encontro do Amor, dos que se amam e que amam o próximo. Um Encontro onde o Evangelho esteve todo momento sendo pregado, vivido e visto na vida de cada um. Um encontro onde não houve nenhum apelo daqueles do tipo-evangélico, mas que pessoas de forma livre, voluntária, espontânea e impactadas pela mensagem do Evangelho de Jesus Cristo fizeram a sua confissão de fé. Como foi o exemplo do Reinaldo (Deus te abençoe e te guarde na Caminhada meu mano); Como também do Mamede (Dono da Pousada onde estávamos) e sua Família, ou seja, Esposa e Filha.
Um Encontro onde um ser tem a liberdade de se achegar e perguntar se poderia ser batizado ali naquele lugar, naquele momento, pois na “igreja” onde ele estava o haviam impedido de se batizar e que ele só de curso para se batizar teria a duração de 3 meses. A Resposta para ele foi SIM, pois o que impede um homem de ser batizado? Só mesmo a Religião e suas Dor-trinas. No Caminho não temos nenhuma barganha a fazer com Religião e nem muito menos semelhanças com qualquer que seja a Religião.
Um Encontro em que muitos descobriram por si só os limites de sua liberdade e auto-analisaram, sem ser preciso do julgamento e o apontar de ninguém.
Um Encontro onde as bebidas e a músicas não foram motivo de escândalo, pois no Caminho quer bebamos, que ouvimos música assim fazemos no Senhor, na presença do Senhor Jesus Cristo. Porque Nele bebida é apenas bebida e que ela seja apreciada de acordo com a consciência de cada um; Nele música é música, não existindo “música de Deus” e “Música do Mundo”, mas apenas Música e pronto. No Caminho não temos em mãos o “interruptor dos céus”, que hora está na luz, outrora no escuro, ou seja, ora acende/luz, outrora apaga/escuridão; No Caminho tudo fazemos na LUZ e na presença Dele que disse: Eu Sou A Luz do Mundo e quem está verdadeiramente em mim não andará/estará em trevas/escuridão jamais.
Um Encontro onde pude rir o chorar, brincar e meditar, aprender e crescer, olhar e não julgar, sentir e expressar, amar e beijar, de forma alguma odiar, abraçar e cheirar, beber e dormir com a consciência em paz, ouvir música e cantar; Na presença de Deus sentir temor e tremor e ao mesmo tempo pular e dançar; De me surpreender com algo e fazer com que minha surpresa não virasse julgamento. Um Encontro onde vivi tudo isso Nele, por Ele e para Ele, Jesus Cristo O Caminho.
Confesso a todos que já estou com muitas saudades de cada momento lá vivido e das pessoas que lá conheci. Portanto quero dizer a todos que é bom amar e ser amado por vocês. Logo peço a todos que o amor seja sempre o que nos move na Caminhada e que no Caminho o nosso olhar seja de contemplação do belo, que em nossa face seja visto o rosto de Cristo; Que o nosso sorrir seja de profunda alegria; Que o nosso abraçar seja de paz e de conforto para todos os que dele (a) precisarem; Que o nosso falar seja para a transformação das nações, pois o que de nossos lábios saír seja Evangelho e amor de Jesus para todos os que o ouvirem; Que o nosso Caminhar seja assim sempre, pois assim sendo muitos dirão como Paulo de uma forma escancarada e convicta: É com os Do Caminho que ando/Creio e sirvo a Jesus Cristo.
Espero maninhos e maninhas manter sempre e sempre contato com vocês. Vocês podem me encontrar sempre no “Coração, Vísceras e Cérebro de Gelson Bessa”, ou seja, o meu Blog: http://www.gelsonbessa.blogspot.com/ , onde poderão encontrar alguns rascunhos/escritos da minha alma e do meu ser. Também por E-mail, MSN e Orkut: gelsonbessa@hotmail.com ou ainda me ligando: (85) 8755 8756, enfim, só não deixem de entrar em contato assim que puderem com este mano que tanto ama todos vocês.
Um abração, Um Cheirão e Bjão para todos.
Do Mano,
Gelson Bessa:.
Fortaleza – Ceará – Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário