quinta-feira, setembro 09, 2010

Encontro Nacional do Caminho da Graça – Brasília 2010 – 6 anos de caminhada

Naquela manhã ainda no aeroporto de Brasília pude começar a sentir as emoções que me cercariam durante todos aqueles dias, quando me encontrei com meus irmãos de Salvador. Pela primeira vez o encontro foi realizado em um hotel onde sua verticalidade parecia impedir os encontros, porém isso se mostrou falso, saltando a verdade que a força que move esse movimento histórico não é somente a fé no Evangelho, mas também as amizades verdadeiras que se constroem no solo da Graça.

O encontro se mostrou de fato um encontro da e na Vida. Tantas coisas ditas, tantas coisas ouvidas, tantas interpretações, tantas dores expostas, tantas lágrimas, tantos sorrisos, tanta reflexão, tanto encorajamento, tanta humanidade.

Na primeira noite Caio remetendo a história do Caminho da Graça, nos estimula, nos desafia a repensar nossa caminhada, e vê se há verdade em nós e em nossas confissões, afinal dizer amém simplesmente ao que é se é dito não gera nada se não virar compromisso que desemboca em ações legítimas. Essa foi a ênfase - um chamado à prática do amor.

E nesses seis anos, é compreensível que esse seja o tempo deste chamado. Ficamos os primeiros dois anos desfazendo o farisaísmo, mais dois anos desfazendo o publicanismo, mas dois explicando o Caminho do discípulo, e agora chegou a hora da decisão.

Decisão que precisa ser acompanhada da certeza que isso não é fruto da nossa escolha, mas da consciência grata por Ele ter nos escolhido. E não há como afirmar-se escolhido de outra maneira senão pelos frutos do arrependimento, que nos fazem obedecer aos mandamentos de Cristo.

E foi bom ouvir tantas histórias que confirmam que o Caminho da Graça tem estado no único Caminho – Jesus. Quanta história me desafiou, me estimulou, me quebrou, me encantou. Quantos sonhos sendo construídos, desde as casas do caminho até o caminho nações.

Sei que muitos ávidos a interpretações questionaram muita coisa que foi dita, mas santa palavra que o Bregantim nos trouxe nos remetendo de fato ao que importa, que não é entender, mas reproduzir Cristo, pelo exemplo que nos deu lavando os pés dos seus discípulos. Quanta esperança, consolo e encorajamento isso nos deu.

Louvo a Deus por tudo, e mais uma vez posso declarar o caminho da graça é para mim, é minha estação neste tempo. Obrigado Senhor pelo Caio, esse homem, apenas homem, mas violentamente amoroso e amorosamente violento, que me inquieta, que me confunde, que me quebra, mas que levanta e caminha comigo. Obrigado pelos mentores, todos eles, os que comigo já andam e aqueles que neste encontro tive a graça de conhecer. Obrigado por toda a cura promovida, e por todo aprendizado.

Minha felicidade é imensa, pois fui surpreendido de maneira singular com os caminhos que esse encontro tomou. Voltei cheio de esperança e de vontade de continuar tentando ser um discípulo de Jesus.

Ivo Fernandes
9 de setembro de 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário