segunda-feira, abril 28, 2008

FRASE

Por Marcelo Quintela

"Quanto ao recipiente institucional de tudo, o "Caminho da Graça" tem uma pedagogia clara e inegociável: Incentivamos que se tire o valor atribuído aos dogmas, às listas comportamentais, aos afazeres ritualísticos e aos objetos e costumes sacros a fim de que nossa FÉ se desloque na direção Daquilo que tem valor eterno: O Reino de Deus em nós! E tal Reino não vem com visível aparência. Ele diz respeito às coisas do Coração, onde Deus fez morada e santuário em nós; o Reino tem relação com a vivência do Amor na direção do próximo, amor esse que não nasce em nós a não ser a partir da Divina Semente implantada pela Fé no espírito de quem crê! O Reino cresce nos movimentos da vida. Muitos O tem como um grão caído; entretanto, é daí que Ele vem a se tornar em vigorosa árvore que dá a sombra da Confiança a quem antes não tinha pouso nem repouso. É nisso que cremos. E é nisso que nos importa que vocês cresçam! É um saudável crescimento para dentro da alma - com repercussões para fora - àquilo que Caio Fábio sintetizou na chamada DOCE REVOLUÇÃO (http://www.caiofabio.com/novo/caiofabio/pagina_conteudo.asp?CodigoPagina=0255200009).
Por isso, o templo não carrega mais a importância de outrora. Ele é um lugar. E os que fazem do lugar o "Lugar Santo" não têm direito de participar do Altar do qual nos servimos, conforme adverte o escritor de Hebreus! Porque o nosso Altar é fora dos portões do quadrado religioso. O templo, para nós, é um local oportuno, uma estação, funciona como um manancial, um oásis...
Por isso também, as hierarquias são horizontais e o maior dentre vocês, seja o que mais sirva! A autoridade é para servir e não para ser servido! Aboliu-se o que nunca existiu: os cargos e os ofícios sacerdotais!
E Deus seja bendito em tudo!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário